jusbrasil.com.br
26 de Abril de 2018
    Adicione tópicos

    Grupo de Estudos Interinstitucional de Gênero define estratégias para alinhar critérios de pesquisa

    Tribunal de Justiça do Paraná
    há 4 meses

    Grupo de Estudos Interinstitucional de Gênero define estratégias para alinhar critérios de pesquisa

    Objetivo é que os dados sejam obtidos nas diferentes instituições a partir dos mesmos critérios a fim de se gerarem estatísticas que reflitam cada vez melhor a realidade
    Ter, 19 Dez 2017 18:48:00 -0200

    Com o reforço de uma profissional estatística, o Grupo de Estudos Interinstitucional sobre Igualdade de Gênero no Poder Judiciário e Ministério Público definiu estratégias para alinhar os critérios de pesquisa nas instituições participantes. O objetivo é que os dados sejam obtidos nas diferentes instituições a partir dos mesmos critérios a fim de se gerarem estatísticas que reflitam cada vez melhor a realidade.

    Em reunião realizada no dia 12 de dezembro, no Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), as integrantes se comprometeram a solicitar que suas instituições designem uma pessoa ou criem um setor para acompanhar o concurso de ingresso de membros de forma que sejam obtidos dados mínimos previamente levantados pelo grupo. Serão também realizados diálogos para adaptação dos sistemas de tecnologia da informação das instituições, caso seja necessário, a fim de que já nas inscrições sejam obtidas informações a partir de listagem padrão assumida como parâmetro por todas as instituições.

    A produção desta listagem está a cargo da Subprocuradoria de Planejamento Institucional do Ministério Público do Estado do Paraná (MP/PR), que vai também encaminhar para as integrantes questionário com indicações mínimas que cada instituição deverá fornecer, de forma a se revelarem dados coincidentes nas diversas estruturas e carreiras nas três etapas (ingresso, provimento/progressão e posições de decisão). O objetivo é possibilitar embasamento para a pesquisa estatística.

    Para auxiliar na padronização dos dados, duas profissionais do MPPR se uniram ao grupo: a diretora da Subprocuradoria de Planejamento Institucional do Ministério Público do Estado do Paraná (MP/PR), Denise Arruda Colin, e a estatística Mariana Yukari Noguti.

    Na reunião, destacaram-se também duas iniciativas que derivam da atuação do grupo e contribuem para sua consolidação. Uma delas trata-se da entrega, pela Diretoria de Mulheres do MPPR, de um ofício ao procurador-geral de Justiça e ao corregedor, solicitando maior participação feminina na administração superior do órgão e nas bancas de concurso. A outra refere-se à palestra ministrada pela juíza federal Leda de

    Oliveira Pinho sobre igualdade de gênero no Poder Judiciário no II Seminário Direitos Humanos e VI Mesa Redonda do MPPR: Movimentos Sociais, Direitos Humanos e Desafios.

    O Grupo de Estudos Interinstitucional sobre Igualdade de Gênero no Poder Judiciário e Ministério Público é composto por representantes do Ministério Público do Paraná (MPPR), Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), Ministério Público Federal no Paraná (MPF/PR) Ministério Público do Trabalho (MPT-PR), Justiça Federal do Paraná (JFPR), Tribunal Regional do Trabalho (TRT-PR), Associação Paranaense do Ministério Público (APMP), Associação dos Juízes Federais do Paraná (Apajufe), Associação dos Magistrados do Paraná (Amapar), Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT) e Associação dos Magistrados do Trabalho da 9a Região (Amatra Paraná).

    Texto: Ministério Público Federal.

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)