jusbrasil.com.br
6 de Julho de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal de Justiça do Paraná TJ-PR - PROCESSO CÍVEL E DO TRABALHO - Recursos - Agravos - Agravo de Instrumento: AI 000XXXX-54.2020.8.16.0000 PR 000XXXX-54.2020.8.16.0000 (Acórdão)

Tribunal de Justiça do Paraná
há 2 anos

Detalhes da Jurisprudência

Órgão Julgador

14ª Câmara Cível

Publicação

01/06/2020

Julgamento

1 de Junho de 2020

Relator

Desembargador Fernando Antonio Prazeres
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

AGRAVO DE INSTRUMENTOCUMPRIMENTO DE SENTENÇA – DECISÃO AGRAVADA QUE DETERMINA A INCIDÊNCIA DE MULTA E DE HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS SOBRE O VALOR REMANESCENTE DO DÉBITO. INSURGÊNCIA DOS EXEQUENTES. AUSÊNCIA DE PAGAMENTO VOLUNTÁRIODEPÓSITO REALIZADO PARA FINS DE GARANTIA DO JUÍZO. APRESENTAÇÃO DE IMPUGNAÇÃO AO CUMPRIMENTO DE SENTENÇA – INCIDÊNCIA DA MULTA DE DEZ POR CENTO E DE HONORÁRIOS DE DEZ POR CENTO SOBRE A INTEGRALIDADE DO VALOR EXEQUENDO – INTELIGÊNCIA DO ARTIGO 523, § 1º, DO CPCPRECEDENTES DO STJDECISÃO MODIFICADA. RECURSO CONHECIDO E PROVIDO. (TJPR - 14ª C.

Cível - 0006365-54.2020.8.16.0000 - Mandaguaçu - Rel.: Desembargador Fernando Antonio Prazeres - J. 01.06.2020)

Acórdão

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO PARANÁ 14ª CÂMARA CÍVEL - PROJUDI Autos nº. 0006365-54.2020.8.16.0000 AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0006365-54.2020.8.16.0000, DA VARA CÍVEL DE MANGAGUAÇÚ, DA COMARCA DA REGIÃO METROPOLITANA DE MARINGÁ. AGRAVANTES: AIRTON JOSE CUSTÓDIO E OUTROS AGRAVADO: BANCO DO BRASIL S/A RELATOR: DES. FERNANDO PRAZERES AGRAVO DE INSTRUMENTO – CUMPRIMENTO DE SENTENÇA – DECISÃO AGRAVADA QUE DETERMINA A INCIDÊNCIA DE MULTA E DE HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS SOBRE O VALOR REMANESCENTE DO DÉBITO. INSURGÊNCIA DOS EXEQUENTES. AUSÊNCIA DE PAGAMENTO VOLUNTÁRIO – DEPÓSITO REALIZADO PARA FINS DE GARANTIA DO JUÍZO. APRESENTAÇÃO DE IMPUGNAÇÃO AO CUMPRIMENTO DE SENTENÇA – INCIDÊNCIA DA MULTA DE DEZ POR CENTO E DE HONORÁRIOS DE DEZ POR CENTO SOBRE A INTEGRALIDADE DO VALOR EXEQUENDO – INTELIGÊNCIA DO ARTIGO 523, § 1º, DO CPC – PRECEDENTES DO STJ – DECISÃO MODIFICADA. .RECURSO CONHECIDO E PROVIDO Vistos, etc... I – RELATÓRIO Trata-se de recurso de agravo de instrumento interposto em face da decisão que rejeitou os Embargos de Declaração (mov. 227.1) opostos em sede de cumprimento de sentença nº 0002036-73.2014.8.16.0108, mantendo, integralmente, a decisão de mov. 218.1, que dentre outras providências, determinou a incidência da multa do art. 523, § 2º, do NCPC, bem como dos honorários, tão somente sobre o valor remanescente devido aos exequentes. Irresignados, os exequentes interpõem o presente recurso, alegando, em síntese, que é de se determinar a incidência da multa e dos honorários do art. 523, § 1º do NCPC, sobre a totalidade do valor exequendo, uma vez que o banco executado não ofereceu a importância de R$ 229.131,70, como pagamento, mas tão somente como garantia do juízo. O preparo foi comprovado no mov. 1.2/TJPR. Regularmente intimado, o Banco agravado apresentou suas contrarrazões recursais (mov. 35.1/TJPR), defendendo a manutenção da decisão agravada, defendendo que a obrigação foi satisfeita com o pagamento tempestivo do valor devido, não sendo cabível aplicação de multa. É, em resumo, o relatório. II – FUNDAMENTOS Presentes os pressupostos à sua admissibilidade e regularidade formal, conheço do recurso. Cinge-se a controvérsia recursal no pleito de aplicabilidade da regra contida no parágrafo primeiro do artigo 523, do CPC. A jurisprudência do STJ é pacífica no sentido de que a atitude do devedor, que promove, como garantia, o depósito judicial do valor exequendo com a finalidade exclusiva de permitir a oposição de impugnação ao cumprimento de sentença, não perfaz adimplemento voluntário da obrigação, autorizando, desta forma, o cômputo da sanção de 10% sobre o saldo devedor. Neste sentido: AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. EXECUÇÃO. EXCESSO. JUROS DE MORA. TRÂNSITO EM JULGADO. IMPUGNAÇÃO. SÚMULA Nº 283/STF. CÁLCULOS. REEXAME. SÚMULA Nº 7/STJ. 1. (...) 3. O Superior Tribunal de Justiça firmou compreensão segundo a qual, na fase de cumprimento de sentença, o montante da condenação ao pagamento de quantia certa será acrescido de multa no percentual de 10% (dez por cento) se o devedor não o efetuar de forma espontânea no prazo de 15 (quinze) dias, conforme art. 475-J do Código de Processo Civil de 1973. 4. A multa a que se refere o art. 475-J do Código de Processo Civil de 1973 será excluída apenas se o executado depositar voluntariamente a quantia devida em juízo, sem condicionar seu levantamento a qualquer discussão do débito. 5. Agravo regimental não provido. ( AgRg no AREsp 506.688/SE, Rel. Ministro RICARDO VILLAS BÔAS CUEVA, TERCEIRA TURMA, julgado em 25/04/2017, DJe 12/05/2017) (...) 1. A atitude do devedor, que promove o mero depósito judicial do quantum exequendo, com finalidade de permitir a oposição de impugnação ao cumprimento de sentença, como garantia, não perfaz adimplemento voluntário da obrigação, autorizando o cômputo da sanção de 10% sobre o saldo devedor. A satisfação da obrigação creditícia somente ocorre quando o valor a ela correspondente ingressa no campo de disponibilidade do exequente. Permanecendo o valor em conta judicial, ou mesmo indisponível ao credor, por opção do devedor, mantém-se o inadimplemento da prestação de pagar quantia certa. Precedentes. 2. O fato de a impugnação ao cumprimento de sentença trazer como matéria de defesa a alegação de excesso de execução não afasta, a priori, o cabimento da multa prevista no art. 475-J do CPC/1973. Ainda que a impugnação esteja fundada no excesso de execução, é imprescindível que haja o pagamento da parte incontroversa pelo executado (valor sobre o qual não incidirá qualquer multa), prosseguindo-se o magistrado no exame apenas da parte controversa da dívida, a qual, sendo mantida ao final, deverá ser acrescida da multa de 10% (dez por cento) prevista no art. 475-J do CPC/1973. Precedentes. 2.1. Hipótese em que, embora a matéria de defesa tenha apontado excesso de execução, o depósito do valor de R$ 230.960,26 se prestou "ao fim exclusivo de garantir o juízo da execução" para o oferecimento da impugnação, não tendo ingressado, portanto, qualquer verba incontroversa no campo de disponibilidade do exequente. Manutenção da multa de 10% (dez por cento) sobre o saldo devedor que se impõe. (...) ( AgInt no REsp 1369644/MG, Rel. Ministro MARCO BUZZI, QUARTA TURMA, julgado em 14/06/2016, DJe 22/06/2016) In casu, o presente cumprimento de sentença está consubstanciado na decisão proferida em Ação Civil Pública sob o nº 16.798-9/98, proposta pelo IDEC, a qual tramitou perante a 12ª Vara Cível de Brasília/DF, restando condenado o Banco executado ao pagamento das diferenças de percentual do rendimento da Caderneta de Poupança, referente ao Plano Verão. Da petição de mov. 34.1, apresentada pela casa bancária, consta de forma expressa que o depósito do valor executado – R$ 229.131,70 – (mov. 34.3) se deu em garantia do juízo, para fins de viabilizar o manejo da impugnação. E, depreende-se da referida impugnação, alegações que compreendem desde ilegitimidade ativa, sobrestamento do feito, até excesso de execução, requerendo, neste tocante, o reconhecimento do montante devido como sendo R$ 1.608,01 (mov. 37.1). Ou seja, tais argumentos demonstram que o impugnante não reconheceu de plano como devido o valor executado. Diante disso, considerando que o depósito dos valores se deu exclusivamente com o intuito de garantir o juízo, para o fim de apresentar a impugnação ao cumprimento de sentença, deve ser modificada a r. decisão , determinando-se aa quo incidência da multa de 10% prevista no artigo 523, § 1º, do CPC e, também dos honorários advocatícios de 10% sobre o valor do débito, consoante já determinado no mov. 23.1. DISPOSITIVO. Ante o exposto, os integrantes da 14ª Câmara Cível, porACORDAM unanimidade de votos, em , nos termos do voto do Desembargadordar provimento ao recurso Relator. O julgamento foi presidido pelo (a) Desembargador Octavio Campos Fischer, sem voto, e dele participaram Desembargador Fernando Antonio Prazeres (relator), Desembargadora Themis De Almeida Furquim e Desembargador João Antônio De Marchi. Curitiba, 29 de maio de 2020 FERNANDO PRAZERES Desembargador
Disponível em: https://tj-pr.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/919772803/processo-civel-e-do-trabalho-recursos-agravos-agravo-de-instrumento-ai-63655420208160000-pr-0006365-5420208160000-acordao

Informações relacionadas

Matheus Zen Pereira, Bacharel em Direito
Artigoshá 2 anos

A incidência de Honorários Advocatícios do Art. 523, §1° do CPC no âmbito dos Juizados Especiais.

Superior Tribunal de Justiça STJ - RECURSO ESPECIAL: REsp 1545828 RS 2015/0185361-8

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 2 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - AGRAVO INTERNO NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL: AgInt no AREsp 1511492 SP 2019/0150416-0

Thomaz Carneiro Drumond, Procurador do Estado
Artigoshá 2 anos

Os honorários arbitrados para o cumprimento de sentença não incidem sobre a multa de 10% do art. 523, § 1º, do CPC

Artigoshá 8 meses

O cumprimento voluntário de sentença conta-se em dias úteis, conforme STJ