jusbrasil.com.br
23 de Maio de 2017
    Adicione tópicos

    TJ-PR - Apelação Cível : AC 5144509 PR 0514450-9

    APELAÇÃO CÍVEL - SUCESSÃO - AÇÃO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS - -PRIMEIRA FASE - HERDEIROS QUE POSTULAM A PRESTAÇÃO DE CONTAS CONTRA A VIÚVA MEEIRA QUE ADMINISTRA OS BENS DO ESPÓLIO DESDE O FALECIMENTO DO AUTOR DA HERANÇA - OBRIGAÇÃO DAQUELE QUE ADMINISTRA OS BENS EM PRESTAR CONTAS, ARTIGOS 985 E 986 DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL -PRESCRIÇÃO DA AÇÃO - INOCORRÊNCIA - AÇÃO FUNDADA EM DIREITO PESSOAL - PRAZO DE DEZ ANOS, ARTIGO 205 DO CC - HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS FIXADOS CORRETAMENTE - OBSERVÂNCIA DOS PARÂMETROS PREVISTOS NO § 4º DO ART. 20 DO CPC E DOS CRITÉRIOS DISPOSTOS NO § 3 - DECISÃO MANTIDA- RECURSO DESPROVIDO.

    Tribunal de Justiça do Paraná
    há 8 anos
    Processo
    AC 5144509 PR 0514450-9
    Orgão Julgador
    12ª Câmara Cível
    Publicação
    DJ: 140
    Julgamento
    6 de Maio de 2009
    Relator
    Costa Barros

    Ementa

    APELAÇÃO CÍVEL - SUCESSÃO - AÇÃO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS - -PRIMEIRA FASE - HERDEIROS QUE POSTULAM A PRESTAÇÃO DE CONTAS CONTRA A VIÚVA MEEIRA QUE ADMINISTRA OS BENS DO ESPÓLIO DESDE O FALECIMENTO DO AUTOR DA HERANÇA - OBRIGAÇÃO DAQUELE QUE ADMINISTRA OS BENS EM PRESTAR CONTAS, ARTIGOS 985 E 986 DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL -PRESCRIÇÃO DA AÇÃO - INOCORRÊNCIA - AÇÃO FUNDADA EM DIREITO PESSOAL - PRAZO DE DEZ ANOS, ARTIGO 205 DO CC - HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS FIXADOS CORRETAMENTE - OBSERVÂNCIA DOS PARÂMETROS PREVISTOS NO § 4º DO ART. 20 DO CPC E DOS CRITÉRIOS DISPOSTOS NO § 3 - DECISÃO MANTIDA- RECURSO DESPROVIDO.

    Qualquer herdeiro tem legitimidade para exigir prestação de contas de quem esteve na administração dos bens do espólio. Sendo a ação de prestação de contas fundada em direito pessoal, a mesma prescrevendo em dez (10) anos, nos termos do art. 205 do Código Civil. Na ação de prestação de contas, destinada a apuração de um crédito ou de um débito, sempre pode ser exigida de quem administra bem (ou bens) de outra pessoa, podendo ser manejada tanto por quem tem o direito de exigir as contas, como por quem tem o dever de prestá-las. A fixação dos honorários advocatícios deve basear-se em critérios vinculados diretamente ao trabalho responsável assumido pelo advogado, sendo que o seu arbitramento deve respeitar a razoabilidade, ou seja, não fixar valor insignificante, tampouco onerar de forma severa o vencido, para que dessa forma realize-se de forma eqüitativa a remuneração do serviço profissional.

    Veja essa decisão na íntegra
    É gratuito. Basta se cadastrar.
    Disponível em: http://tj-pr.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/6138882/apelacao-civel-ac-5144509-pr-0514450-9