jusbrasil.com.br
17 de Agosto de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal de Justiça do Paraná
há 3 meses

Detalhes da Jurisprudência

Processo

Órgão Julgador

10ª Câmara Cível

Publicação

Julgamento

Relator

Elizabeth Maria de Franca Rocha

Documentos anexos

Inteiro TeorTJ-PR_AI_00598226420218160000_2fba2.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Inteiro Teor

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ
10ª CÂMARA CÍVEL

Autos nº. XXXXX-64.2021.8.16.0000

Recurso: XXXXX-64.2021.8.16.0000

Classe Processual: Agravo de Instrumento

Assunto Principal: Tutela de Urgência

Agravante (s): CONDOMÍNIO EDIFÍCIO SUNSET PLAZA RESIDENCE CLUB

Agravado (s): ANTONIO LEME JUNIOR
1. Trata-se de agravo de instrumento interposto por Condomínio Edifício Sunset Plaza Residence
Club, da decisão (mov. 13.1) proferida nos autos da ação de exclusão de condômino antissocial, com pedido
de tutela de urgência em caráter antecedente, ajuizada em face de Antônio Leme Junior, que indeferiu seu
pedido liminar, sob o fundamento de que “revela-se ausente o requisito da probabilidade do direito,
indispensável à concessão das tutelas de urgência ( CPC, Art. 300), assim como observa-se, por ora, a falta
de interesse de agir, na sua vertente necessidade, haja vista: I) a ausência do esgotamento das vias
extrajudiciais (aplicação da multa prevista no parágrafo único do art. 1.337 do CC) e de II) autorização
específica de três quartos dos condôminos para o ajuizamento da demanda de exclusão do sócio infrator, na
linha da doutrina e jurisprudência dominantes, consoante já exposto linhas acima”. Ademais, determinou a
emenda da inicial.
Compulsando os autos verificou-se que, depois da interposição e processamento do presente
recurso, com o indeferimento do efeito suspensivo requerido (mov. 9.1), o Juízo a quo comunicou o
deferimento da tutela de urgência depois da emenda à inicial (mov. 17).
Intimado o Agravante para se manifestar sobre a subsistência de interesse recursal e possível perda
superveniente de objeto (mov. 21.1), este requereu “a desistência do presente recurso” (mov. 24.1).

2. Assim, HOMOLOGO o pedido de desistência deste recurso de Agravo de Instrumento e extingo-o,
consoante disposto pelo artigo 998 do Código de Processo Civil e pelo artigo 182, inciso XVI, do RITJPR.

3. Com o trânsito em julgado, após procedidas as comunicações necessárias, baixem os autos ao
Juízo de Origem para os devidos fins.

Intimem-se.

Curitiba, 09 de maio de 2022.

Elizabeth M. F. Rocha
Desembargadora
Disponível em: https://tj-pr.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/1495336653/agravo-de-instrumento-ai-598226420218160000-maringa-0059822-6420218160000-decisao-monocratica/inteiro-teor-1495336665

Informações relacionadas

Bernardo César Coura, Advogado
Artigoshá 6 anos

O condômino antissocial, punições previstas no Código Civil e outras disposições

Tribunal de Justiça de São Paulo
Jurisprudênciahá 2 anos

Tribunal de Justiça de São Paulo TJ-SP - Apelação Cível: AC XXXXX-73.2019.8.26.0562 SP XXXXX-73.2019.8.26.0562

Tribunal de Justiça de São Paulo
Jurisprudênciahá 4 anos

Tribunal de Justiça de São Paulo TJ-SP - Apelação Cível: AC XXXXX-23.2016.8.26.0100 SP XXXXX-23.2016.8.26.0100

Flávio Tartuce, Advogado
Artigoshá 11 anos

V jornada de direito civil - expulsão do condômino antissocial

Tribunal de Justiça de São Paulo
Jurisprudênciahá 7 anos

Tribunal de Justiça de São Paulo TJ-SP - Apelação: APL XXXXX-66.2013.8.26.0116 SP XXXXX-66.2013.8.26.0116